browser icon
You are using an insecure version of your web browser. Please update your browser!
Using an outdated browser makes your computer unsafe. For a safer, faster, more enjoyable user experience, please update your browser today or try a newer browser.

Ele sabia…

Posted by on March 14, 2013

Souza Pepeu, Ulysses Guimarães, João Lyra Filho e Fernando Lyra - na casa de João Lyra em CaruaruEm 12 de março de 2013 fez cem anos do nascimento de Vovô Lyra. Tia Mércia me pediu para escrever algo para ler na missa. A princípio seria eu, mas cada um com seu departamento. Microfone não é minha área, passei a tarefa para Raquel. Mas escrevi:

Falar sobre a importância política, o legado e as lembranças que tenho de João Lyra Filho é uma tarefa e tanto. As influências se misturam. A retidão de caráter do homem, a visão de futuro do prefeito, o empreendedorismo do empresário e o exemplo de vida do avô.

Vovô Lyra aprendeu a ler com minha avó Guiomar, professora primária. O resto, a vida ensinou. Vida que não começou fácil, até dormiu debaixo dos caminhões que dirigia! Com o tempo, o tino e a visão de empreendedor, as coisas foram melhorando: foi representante da Ford e da Mercedes e depois comprou o que hoje é a Rodoviária Caruaruense. Ele dizia que não era fácil ser comerciante e ao mesmo tempo militante de oposição. Fez campanha para Cid Sampaio na eleição para governador em 58, mas, consciente de sua escolaridade limitada, hesitou muito em aceitar a candidatura a prefeito de Caruaru. Com o apoio do então deputado Drayton Nejaim, foi eleito em 59 e quebrou vários tabus, fato que gostava de lembrar com orgulho.

Como prefeito, viu além do seu tempo. Caruaru foi uma das primeiras cidades do Brasil a ter um plano diretor. Deu preferência à obras estruturais e prioridade à educação. Educação a que ele mesmo nunca teve acesso. João Lyra adorava visitar a Feira e conhecia, e era conhecido, por todos os feirantes. Andar com Vovô na feira e no meio do povo era uma experiência e tanto: quase impossível chegar ao destino final, tantas eram as paradas.

“Se tem por aí um cara sortudo, chama-se João Lyra Filho. Muita coisa para quem nasceu em Lagoa dos Gatos e gostava de jogar bilhar”. Pois esse homem sortudo foi duas vezes prefeito, deputado federal e estadual. Sua visão de futuro e compreensão ampla do processo político era tal que, em 1970, não foi candidato à reeleição para a Câmara dos Deputados para que Fernando Lyra fosse para Brasília como Deputado Federal. Ele sabia que papai podia fazer mais pela democracia e tomou a decisão de abrir caminho. Sem dúvidas ou hesitação. Ele sabia.

O seu orgulho maior era a família. Orgulho dos filhos, orgulho “dos Lyra”, como gostava de dizer. Muito orgulho de ver Tio João, o terceiro João Lyra, ser também por duas vezes eleito Prefeito de Caruaru, terra que adotou e amou até o fim de sua vida. Vale o aparte para dizer que agora já temos mais um João, o “João Pequeno” como diz Caio, é o filho mais velho de Raquel (o mais novo chama-se Fernando).

A vida de Vovô Lyra foi muito rica em ensinamentos, mas tem um papai repetia sempre: “faça o bem, faça o que é certo, sem se preocupar com a recompensa. Ela virá de onde você menos espera.”

Papai, poucas semanas antes de ir-se, já no Incor em SP, contou que passou a noite sonhando/conversando com Vovó Guiomar.  Gosto de imaginá-los todos juntos. Vovô Lyra, Vovó Guiomar, Vovô Teixeira, Tio Geraldo, Zé Humberto, Cristina… tem uma turma boa por lá. Seja lá onde lá for. Apesar da imensa vontade, para mim ainda é muito cedo para escrever sobre papai, ainda não estou pronta. Por enquanto, só posso conversar com ele em particular, mas já já a hora chega.

Foto: Souza Pepeu, Ulysses Guimarães, João Lyra Filho e Fernando Lyra – na casa de João Lyra em Caruaru – conheço pela parede! :-)

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
  • Lilia

    Como sempre, um lindo texto Tice! Ee estava com saudades de suas crônicas/depoimentos! Beijos

    • Anonymous

      Oi Lily, eu também estava com saudades do blog. Tinha prometido a papai voltar a escrever e essa agora me pareceu a oportunidade perfeita. :-) Bjs

  • Mércia

    Oi Ticinha, concordo com Lilia. Acho que voê já tem uma bagagem imensa e muita sensibilidade não só para o blog mas para pensar em livro.Te amo. Titia

    • Patlyra

      Ai ai… :-)